FRANQUIAS Antigas: O MITO

em 24 setembro | em franquias antigas, mito, novas franquias | por | com Sem comentários

 * Quando se fala em franquia mais antiga no mercado, logo se pensa: mais estrutura, maior expertise, marca mais conhecida.

Apesar da maioria das pessoas optarem por marcas de franquia mais conhecidas, é preciso verificar o histórico e a realidade das franquias ditas ‘consagradas’ . É um exercício importante para o candidato a franquia, que deseja aumentar suas chances de sucesso na aquisição do seu negócio.

É preciso atentar para o fato que nem sempre a franqueadora (detentora da marca a ser franqueada) com muito tempo no mercado de franquias está devidamente estruturada.

Aliás, algumas franquias novas já nascem muito mais estruturadas do que algumas franquias antigas (que estão sendo forçadas a se reestruturar) pois oferecem condições para o aprimoramento das atividades da franquia, além de logística eficaz, apoio total no ponto de venda, plano de carreira do franqueado, disponibilidade de praça e etc.

Mesmo sendo uma marca forte especialistas não acreditam que isto seja garantia de sucesso, pois em muitos casos a empresa já não tem mais condições de estar expandindo, pois seu mercado já está saturado.

Além disto, as grandes redes de franquias já contam com várias unidades instaladas em diversos pontos estratégicos, de forma que, em geral, os que sobram muitas vezes não se encaixam no perfil que o negócio requer.

O cuidado com o crescimento acelerado também deve ser observado. Usado como ponto positivo por muitos consultores de venda de franquia, tal fato pode até gerar um resultado no curto prazo, deixar o pessoal de vendas satisfeito, gerar manchetes na mídia, além de alimentar o ego do fundador , como diz BOE, GINALSKI e HENWARD (1987: 8) em The Franchise Option. Entretanto, sem uma adequada infra-estrutura e sem um comprometimento com os resultados dos franqueados no longo prazo, o sistema de franchising da empresa poderá estar condenado ao fracasso.

Não existe uma fórmula mágica de sucesso é preciso analisar caso a caso, a marca , a organização e o suporte da empresa franqueadora.

Afinal, tempo de mercado não é sinônimo de estrutura e qualidade de serviços prestados.

* Silmara Silva

Fonte: Revista INCorporativa

Lênia Luz

Lênia Luz é Sócia-fundadora e Diretora de Comunicação da Aurelio Luz Franchising & Varejo. Fonoaudióloga, psicomotricista e arteterapeuta; especialista em comunicação humana. Consultora especialista em Microfranquias pelo Instituto Tomodati/BID. Especialista em Empreendedorismo pela FGV/Goldman Sachs, através do projeto “10.000 Mulheres Empreendedoras do Mundo”. Participante da Oficina de Gestão e Empreendedorismo da UFPR. Certificada pela IFA International Franchising Association. Professora Titular do MBA em Empreendedorismo Feminino da UFSCar. Professora da Universidade Livre do Comércio, da Associação Comercial do Paraná e de Gestão Executiva de Bares e Restaurantes na Espaço Gourmet Escola de Gastronomia. Articulista e palestrante em eventos de franchising e empreendedorismo feminino. Criadora dos blogs “Empreendedorismo Rosa”, “Mundo das Franquias” e “Mundo das Microfranquias”. Colunista dos blogs/sites “Bolsa de Mulher”, “Mulheres no Poder”, “Revista + Mulher” e “Portal Webnews – Japão”. Colunista do blog Mulheres Empreendedoras, da revista PEGN – Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Ver outras postagens - Site - Twitter

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

Scroll to top