A história da primeira REDE de FRANQUIAS do BRASIL

em 2 setembro | em Brasil, franquia, sucesso | por | com Sem comentários


Aos 79 anos, Itamar Silva, um dos fundadores da Yázigi, conta como criou a primeira rede de franquias de ensino de idiomas do Brasil

Início – “Começamos a dar aulas de português para estrangeiros e de inglês para adultos em um apartamento no centro de São Paulo. Eram três sócios: César Yázigi ministrava as aulas, eu e o Fernando Silva cuidávamos da administração. A empresa nasceu disposta a dar ênfase à comunicação oral, o que nenhum dos concorrentes fazia na época.”

Divulgação – “No início da década de 50, fomos convidados pela TV Tupi para organizar um curso de idiomas diferente: eles entravam com a dramaturgia e nós com a pedagogia e o material impresso. Aceitamos o desafio. Foi um sucesso: chegamos a receber uma Kombi lotada de cartas solicitando o envio das apostilas gratuitas para o acompanhamento das aulas. A parceria durou até 1954 e tornou a marca muito conhecida.”

Pioneirismo – “A Yázigi foi a primeira franquia de idiomas no Brasil. Em 1954, fechamos uma licença para que uma escola de idiomas usasse nosso método de ensino. Em 1966, adotamos o sistema de professores associados, o embrião do modelo de franchising. Fomos pioneiros, também, na criação de um portal de ensino de inglês a distância no país, com programas de diferentes níveis, chats temáticos e suporte de professores on-line”.

Um tropeço – “Um dos objetivos da empresa era tornar a marca global, abrindo unidades nos EUA e na Inglaterra. A ideia era ensinar inglês aos imigrantes estrangeiros residentes naqueles países. A primeira escola foi aberta em 1991, na Flórida. Para solidificar a marca, a Yázigi se associou à rede English Language Study Centers. Quando as coisas estavam melhorando, veio o atentado de 11 de setembro de 2001. Os alunos sumiram. Ainda demoramos dois anos para encerrar a operação. Investimos muito dinheiro e não conseguimos recuperar o capital.”

Lição – “Sempre mantive a postura de educador. Acredito que investir em educação exige responsabilidade. É preciso prestar atenção na escolha da mão de obra, na eficiência dos cursos e na boa formação dos alunos. Não vejo o ensino de línguas como commodity.”

Fonte: http://revistapegn.globo.com

Lênia Luz

Lênia Luz é Sócia-fundadora e Diretora de Comunicação da Aurelio Luz Franchising & Varejo. Fonoaudióloga, psicomotricista e arteterapeuta; especialista em comunicação humana. Consultora especialista em Microfranquias pelo Instituto Tomodati/BID. Especialista em Empreendedorismo pela FGV/Goldman Sachs, através do projeto “10.000 Mulheres Empreendedoras do Mundo”. Participante da Oficina de Gestão e Empreendedorismo da UFPR. Certificada pela IFA International Franchising Association. Professora Titular do MBA em Empreendedorismo Feminino da UFSCar. Professora da Universidade Livre do Comércio, da Associação Comercial do Paraná e de Gestão Executiva de Bares e Restaurantes na Espaço Gourmet Escola de Gastronomia. Articulista e palestrante em eventos de franchising e empreendedorismo feminino. Criadora dos blogs “Empreendedorismo Rosa”, “Mundo das Franquias” e “Mundo das Microfranquias”. Colunista dos blogs/sites “Bolsa de Mulher”, “Mulheres no Poder”, “Revista + Mulher” e “Portal Webnews – Japão”. Colunista do blog Mulheres Empreendedoras, da revista PEGN – Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Ver outras postagens - Site - Twitter

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

Scroll to top